Artistas saem em defesa dos quadrinhos

20 Outubro 2011

Por Adriana Brasil

(publicada originalmente nesse link da FOTEC )

No estande História em Quadrinhos, localizado no pavilhão da Feira do Livro (FliQ), estão à mostra títulos de livros e revistas em quadrinhos que abordam temas variados. Vão desde histórias infantis a temas históricos, thrillers psicológicos, dentre outros. A agência Fotec esteve lá e conversou com integrantes do estande. O que se pode encontrar por lá são quadrinistas e roteiristas do Rio Grande do Norte e de outros estados, que expõem seus trabalhos na Cientec e participam também da Feira de Livros e Quadrinhos de Natal (FliQ). Miguel Rude (roteirista e caricaturista), Wagner Michael (quadrinista e poeta) e Marcos Guerra (quadrinista e professor de artes) falaram sobre o evento, o trabalho que desenvolvem e o que pensam sobre a arte de desenhar histórias em quadrinhos.

Para Wagner Michael, as histórias em quadrinhos despertam uma nova visão (Foto: Adriana Brasil/AgênciaFotec)Para Wagner Michael, as histórias em quadrinhos despertam uma nova visão (Foto: Adriana Brasil/AgênciaFotec)

Agência Fotec – Como está sendo expor o trabalho de vocês na Cientec?

Miguel Rude – Maravilha! Eu adoro a Cientec, venho todos os anos, temos muita coisa para ver e mostrar. Estamos nos sentindo criança em festa de doce (risos).

Wagner Michael – Somos abordados aqui por leitores, fãs de HQs e pessoas curiosas, que sabem muito pouco sobre histórias em quadrinhos. Eles nos fazem perguntas e, quando conhecem um pouco do que é essa arte, acabam por levar as nossas publicações e daí poderão conhecer um mundo novo.

Agência Fotec – Que mundo novo eles poderão conhecer?

Marcos Guerra – Uma forma diferente de enxergar. Quando você assiste a um filme, você poderá estar vendo a visão particular de um diretor. Ele pode pegar, por exemplo, o romance Dom Casmurro, de Machado de Assis, e filmar uma versão diferente da que o autor da obra talvez quisesse passar. Quero dizer que a história pode ser modificada, não refiro à qualidade, mas à visão, interpretação. Nos livros, quadrinhos, você pode ser o diretor do seu próprio filme.

Agência Fotec – Como está a recepção do público ao trabalho do quadrinista no país?

Wagner Michael – Temos uma certa dificuldade. Mas isso de um modo geral. Há um certo conservadorismo cultural. A mídia controla o que as pessoas vêem. A televisão, algumas revistas, por exemplo, impõem o que é bom e ruim. Você se vestir ou pentear-se de certa maneira está certo ou está errado. Em relação à arte, é semelhante. Os quadrinhos são pouco valorizados pela mídia. Recentemente, na revista Veja (edição nº 2238), saiu uma matéria depreciando o Enem por colocar histórias em quadrinhos nos exames. Então o que fazemos não é cultura?

Marcos Guerra – Sou professor de artes. Levei minhas publicações para a sala de aula. Espalhei revistas pela mesa. Quis deixar os alunos à vontade para ler. Eles escolheram, puseram-se a ler. De repente a sala ficou silenciosa, contemplei aquela turma barulhenta, naquele momento em silêncio, concentrada, lendo. E a emoção maior foi ver que eles absorveram sentidos profundos. A sua maneira, eles conseguiram entender arte! Alguns enxergaram, de um quadrinho pro outro, possibilidades que nem eu – o autor – tinha imaginado. Isso me emocionou.

Agência Fotec – O que podemos esperar para os próximos dias de FliQ?

Miguel Rude – Estaremos aqui, dispostos a trocar idéias com a galera, divulgar nosso trabalho, interagir e levar mais cultura às pessoas. Teremos oficinas, mesas-redondas. Convidamos a sociedade a participar, vale a pena!

(Nota: morri de medo de falar algo que me comprometesse, e rouco, Adriana mal me entendia…E, mesmo ela me enrolando que não seria “A” repórter e que nem repórter era, fez uma matéria muito boa….tem futuro essa menina . ) Miguel Rude

Anúncios

FLIQ & FIQ (NATAL/BH)

Ansioso pra mostrar meus trabalhos impresso pela @FJA_RN ,  lá  na @FLiQNatal  e na @fiq_bh …

logo-fliq

Segue datas:

5

AUDITÓRIO*
Exibição de Animes

14h  às 15h – Exibição de Aberturas/ Clips/ AMVs e Tiger and Bunny – TV 01 e 02
Mesas redondas
18h às 19h – Leitura de imagens nas charges e caricaturas dos artistas do RN. Convidados: Ivan Cabral, Brum, Amâncio e Miguel Rude

19h às 20h – Desenhando Comics. Convidados: Geraldo Borges, Gabriel Andrade Jr. e Wendell Cavalcanti

Além de, durante a semana passar pelo estande de quadrinhos como por exemplo na segunda dia 17/10, segue fotos:

 

E uma rápida passagem a tarde , veja fotos  do @Rilder_Medeiros e a @MilenaAzevedo e, @marcos_acunha , entre outros …  Pena ter que sair as pressas, mas foi legal já no primeiro dia.

 

 

Se a mesa redonda já é emoção demais, o que dizer dessa outra ótima notícia? http://fiqbh.com.br/?page_id=117

fiq topo

Estandes

10 DE NOVEMBRO – QUINTA-FEIRA

  • 14h às 15h

Sessão de autógrafos de Terra de Ninguém, com Miguel Rude e Wendell Cavalcanti

Local: Estande Xaxado / Quadro a Quadro

 

(possivelmente fazendo caricaturas, agora fora do estado! uhu!)

SCAN0004 WEB

Bom, é isso, aos poucos amigos: torçam por mim.

*(nervoso)

 FLIQ FIQ cópia

ARTE É PODER…

Não planejei nada ao escrever esse post, nem sei ao certo sobre o que ele será… Como fez Jack Kerouac , usarei o modo Instintivo e Intuitivo.
Passando os créditos de TRANSFORMERS 3 na tv/dvd enquanto escrevo essas linhas….e só posso dizer : MEU DEUS! O QUE FOI ISSO!!?!?!

Michael Bay se redimiu da merda feita no 2 (com direito a puns e duplinhas idiotas, a plágios de exterminador e furos homéricos)

TF3 01

Poderia ser um fã geek que falaria em resumo sobre a “franquia” (como propagam agora as mega sequências nas mídias apenas com intuito de consumir o dinheiro dos bestas) , como fazem os bobos fãs de crepúsculo, harry potter  e demais mazelas atuais.

Poderia resumir os milhões que as bilheterias arrecadaram em comparação a outros filmes que foram aos cinemas na mesma época e comparar ao dinheiro arrecadado com os dois filmes anteriores, vendas de brinquedos, desenho animados  e quadrinhos como fazem os sites “especializados” em babar ovo de empresas pra ganhar travessuras e gostosuras….

Poderia….Mas NÃO NASCI PRA ISSO.

Quem me conhece sabe que sou um “Furão” , um colecionador de muita coisa, algumas inúteis, outras sem futuro e muita em nescessidade aparente… Mas antes que me perca , me lastimando num vício que atrapalhou meu sucesso como pessoa preciso dizer que sou um professor, um artista , um colecionador , um estudioso e …um ser humano.

Um ser humano ainda capaz de se emocionar, encantar e crer em coisas melhores pra mim e as demais pessoas a minha volta.

E assistindo a esse filme, me fez entender o que tanto andam divulgando sobre o que Steve Jobs fala nesse vídeo  :

Ligar os pontos (Steve Jobs em Standford)

 

Como o cara que esta sendo visto nesse vídeo por muitas pessoas que nem sequer fazem idéia de quem ele seja ( já que a maioria usa o Windows de forma pirateada, starter edition em pcs de 24 parcelas da insinuante, casas bahia e demais lojas de superpromoções imperdíveis que se perdem em problemas e contas a pagarmos), e não chegaram a ver o sistemas de pastas do OS/2 como eu vi e que foi REALMENTE plagiado como as fontes de letras pela Microsoft , dificilmente entenderá a fundo o ponto que ele quis chegar com isso…

Encantamento.

Abrir mão de certas coisas que sejam lugar comum a maioria dos seres humanos como adorar a faculdade (estou falando dos estudos : ser laureado, mestrado, doutarado, teses, monografias e essas porras que me dão nos nervos) , se matar por um concurso público que não tem nada a ver com que você formou ou se senteria realizado, pelo simples medo da SEGURANÇA FINANCEIRA.

Se encantar pela tipologia nas aulas de caligrafia  e sofrer , se sacrificar pra estudá-la e se divertir com esse sofrimento/sacrifíco e sem ter uma concepção coesa que iria mudar tudo… Criar algo que moldasse esse ofício e deixasse a mesma função obsoleta (a famosa “abrir letras” ) e ao mesmo tempo imprescindível, super nescessária e integrada com o mundo moderno ( os banners, logomarcas, cartazes, aplicativos, redes sociais , cartões de visitas e infinitos outros exemplos onde usamos as fontes de letras atualmente criando-as via computador , como estou fazendo agora também nesse blog).

E hoje, mesmo no lugar que estou , na minha situação pessoal e financeira e mesmo não sendo bilionário como ele foi, nem conhecido como ele é …eu posso ligar pontos.

Dezenas, centenas e milhares de pontos. Sobre mim, sobre as pessoas a minha volta, sobre o mundo e sobre os pregos* . Como disse, ele é conhecido e mesmo assim muitos no mundo não fazem nem idéia e nem farão de quem ele foi e sua importância. Como disse, ele morreu bilionário e mesmo assim morreu  ce câncer (mesmo dando ênfase ao choro dos cientistas religiosos sobre sua cura milagrosa que não foi assim uma cura e sim uma pausa na doença).

O que eu quero dizer que mesmo não ficando famoso nem rico como  ele, posso sim estar satisfeito com que criei, o que vivenciei , o que assisti. li e ouvi. O que renunciei e aceitei…

E assim voltamos aos TRANSFORMERS.

Quando garoto, vivi uma das melhores fases da  imaginação  no “mercado” de animação: os anos 80.

Com he-man , transformers , thundercats , caverna do dragão e demais criações. Não tinham sexo? Nem sangue, nem violência explícita? E dái? Não tinha puns como qualquer filme de comédia atual que não sabem mais fazer humor . Isso não é , nunca foi nem nunca será o ponto importante numa criação… E A CRIAÇÃO o que importa. Parou pra pensar no mundo de Etérnia? Com um castelo de ossos que era fonte do bem? De uma bruxa gostosa de chapéu de águia? De uma sociedade que assim como em Stars Wars não  tiveram o ciclo tecnológico alavancado pela criação da terra chamado PNEU (ou roda, se remetermos aos primórdios do clico) ?

E thundercats? Homens felinos vindo pra um planeta terra tão futurista que a única coisa que resta são nossos ursinhos de pelúcia tendo consciência? (sem falar na forma decadente que era o ser eterno)

A trilha sonora, as armas, veículos, tramas e arquitetura?

Caverna do dragão nem se fala…Entra anime, sai anime, entra qualquer sucesso infantil como bob esponja e padrinhos mágicos e saem da tv aberta…e Caverna do dragão lá…sempre reprisando…Um legado pra que todas a gerações se encantem, se irritem por nunca ver o final e pensem…sim ! PENSEM , reflitam cada um em seus corações como seria seu suposto final. Mesmo idiotas religiosos a propagar que era o inferno , que eles morreram e precisavam se redimir pra salvarem suas santas almas, mesmo que completos imbecis acreditem nessa papagaiada propagada por simples e pura falta do “não pensar” ( e eles não contam aqui…) e mesmo o verdairo final em texto ter sido publicado na extinta revista de RPG Dragão Brasil. Mesmo após isso… O legado está lá, encantando, instigando e deixando nós criarmos mundinhos com finais só e apenas nosso.

“Esse cara tecla muito e enrola e não fala o que achou do tranformers” , muito irão dizer a si mesmo se conseguirem chegar até aqui.

Corretos todos.

TRANSFORMERS : assistir isso no tosco jeito de se fazer dos anos 80 estimulou e muito a minha criatividade, ver a revista nem sempre bem desenhada , me estimulava mais ainda desenhar e a querer gostar de ficção, formas de vida, geografia e diversas formas de sociedades.

Não importa se não tinha sangue, palavrões, puns e qualquer coisa nescessária nos dias de hoje….Saber que um rádio oitentista viraria um super robô me fascinava, que suas fitas k-7 viravam um leopardo e uma águia me encantava.

Saber que um simples fusca amarelo viraria seu melhor amigo e literalmente assumiria uma forma antropomórfica de um amigo era surreal e maravilhoso!

E otimus prime. A carreta. Sem palavras, sinceramente.

Vê-los de volta num tosco 3d ainda me deixou empolgado , não pela animação , mas pelo roteiro, conflitos , intrigas, reviravoltas que foi Beast Wars  e pouco depois Beast Machines de forma melhorada  com roteiro do escritor de Novos Titãs : Marv Wolfman .

Veio revistas da IDW mas muito chatas, que não entenderam o que era importante, com roteiros, confusos, toscos e desnecessários.

E então veio o filme.

E ver o trailer me fez sonhar, e ouvir o som deles se transformando me encheu de orgulho de saber que algo visto como nerd e infantil estva cheio de milhões de dólares na sua produção. E que tinha a Megan Fox rssrsrs.

Mas o trailer pareceu melhor que o filme, como a leva de muitos que foram transportados de sua “mídia” original (games, quadrinhos, animações) , virou um poço de piadas em excesso , como Motoqueiro Fantasma, Liga da Justiça, O fantasma e Dick Trace.

E apenas vê-los em ação que foi o conforto pra subrepujar a decepçao…

E então veio a continuação, com duplas de pseudo-humoristas querendo ter seu lado burro/gato de botas achando que Otimus Prime daria um bom Shrek. E o vovô robô peidão pra CONFIRMAR que era um filme babaca pra crianças idiotas de hoje em dia não poderia faltar.

Com imensos furos no roteiro e cenas desnecessárias como o já citado desperdício de dinheiro chamado motoqueiro fantasma.

Mas lembre-se de Steve Jobs! Lembre-se que o cara foi despedido da própria empresa e criou a Pixar, lembrem-se de assistir o DVD com as animações do início dos estúdio  , sem preguiça nenhuma de optar pelos comentários na legenda de seus criadores.

E lembre-se que ele deu a volta por cima com a própria pixar, a next e …voltar pra Aple.

E assim eu também irei lembrar. Lembrar de mim, de ligar os pontos de chegar onde estou , de desperdiçar noites com coisas que não foram de certa forma de grande importância pra minha carreira e vida pessoal… E lembrar das que foram.

E ter idéias…dezenas, centenas , milhares! E saber que elas estão aqui ainda… que podem ser moldadas adaptadas , reclicladas , melhoradas e comercializadas.

Que podem transformar caligrafia e “abrir letras” em impressoras e programas e dispositivos que empregam letras nas suas criações (corel, photoshop, paint, word,  etc…) gerar empregos pras novas classes mais remuneradas que os citados acima. (webdesingners, designers em geral, letristas, escritores, blogueiros, entre outros)

E chegamos a TRANSFORMERS 3.

Onde michael bay se redime e deixa outro fazer um roteiro competente, e deixa os plágios de lado e seguir o que Neil Gaiman sempre seguiu : deixar os personagens falarem, deixar seguir seu rumos , fazer  história de acordo como cada um agiria no decorrer  das resoluções dos problemas expostos.

E assim você volta a essência de uma boa história, e assim você tem algo a dizer…Você encanta, emociona, faz a pessoa refletir o que será o mundo após você ter criado aquilo tudo. Você ter criado uma OBRA DE ARTE.

Foi assim com David, de Michelangelo, a Mona Lisa de Leonardo da Vinci, A Grande Onda de Kanagawa , Watchmen de Alan Moore, as longas animações de Disney como A Branca de Neve , Pinóqui e Dumbo, suas outras obras em parceria com a Pixar de …Steve Jobs!

E eu precisava dizer isso tudo, mesmo que não esteja de uma forma coesa, focada e que talvez não tenha feito sentido nenhum a quem leu…Mesmo errando as digitadas pelo sono por ser três da manhã … Mesmo sendo nerd, com uma aura de fã e saudosista.

E disse.

E agora trabalhando e querendo mudar meu foco em relação a TUDO em meu dia-a-dia , e querendo me esforçar em estudar na @Gracom_school   e ter um retorno pessoal e financeiro advindo do conhecimento obtido, agora sei como ligar os pontos e me focar nas coisas que gosto, quero e pretendo fazer de AGORA EM DIANTE.

E ver transformers 3 com seus efeito especiais, seu ritmo no roteiro, a sonoplastia e o sentido da aessência da criação original para os brinquedos da Hasbro me fez confirmar onde o foco deve estar.

Acho que é isso… veremos daqui a exatmente uma década se manti meu foco ou foi apenas fogo de palha pelo momento de excitação ao ver o filme.

Obrigado a santa alma que conseguiu ler até aqui, seria demais até pra mim.

 

Encerro com o  que apareceu na minha timeline do Twitter ao procurar o link pra Steve Jobs :

@laboure_lima Labouré Lima

“Apenas uma coisa tem que mudar em nós para conhecermos felicidade em nossa vida: onde focar nossa atenção.” ( Greg Anderson )

 

*leia o link , poxa! E entenda o poema:

shockwave

“Por falta de um prego, perdeu-se uma ferradura.
Por falta de uma ferradura, perdeu-se um cavalo.
Por falta de um cavalo, perdeu-se um cavaleiro.
Por falta de um cavaleiro, perdeu-se uma batalha.
E assim um reino foi perdido.
Tudo por falta de um prego.”

P.S.: o desenho do He-Man foi todo recriado pra reaproveitar os moldes do boneco do Conan que foi rejeitado, acreditam que tudo aquilo foi criado de uma rejeição?!?!

 

MIGUEL RUDE

CORRENDO ATRÁS DO TEMPO REAPROVEITADO*

 

20 DE OUTUBRO


http://ghq.com.br/programacao-do-setor-de-hqs-da-fliq/
MESAS-REDONDAS (auditório)
Dia 20/10 – Das 18:00 às 19:00 ­ –  Leitura de imagens nas charges e caricaturas dos artistas do RN – Ivan Cabral, Túlio Ratto, Brum e Miguel Rude

A FLiQ (Feira de Livros e Quadrinhos de
Natal) será um evento gratuito, de caráter pop, instrutivo e divertido,
que visa estimular a leitura e a produção de textos e histórias em
quadrinhos entre os jovens potiguares. Também haverá espaço para
divulgação do trabalho dos cosplayers e dos dubladores.

A FLiQ acontecerá de 17 a 21 de outubro
(dentro da CIENTEC – Feira de Ciência e Tecnologia da UFRN), na praça
cívica da UFRN, das 08 da manhã às 10 da noite.

*A mesa redonda do @fliq ainda estou a confirmar

(no momento que ponho essa nota, o site ainda não estava no ar e retirei apenas do portal GHQ)

25 A 29 DE OUTUBRO**

 

cartaz DIVULG II XV ENEARTE

* *@errerodrigo  e @miguelrude por ajudarem com sugesões do evento,  possivelmente estarãos fazendo caricaturas e mostrando as camisas @badrequest_meme no XV ENEARTE

09 A 13 DE NOVEMBRO***

id-visual-fiq-2011

Nome do expositor: Quadro a Quadro / Turma do Xaxado

***Nome da atividade: Sessão de autógrafos da HQ Terra de Ninguém

Ilustrador / autor / escritor participante: Miguel Rude e Wendell Cavalcanti

Dia: 10/11 – quinta-feira

Horário: 14:00

Duração: 01:00 hora

 

 

camisas cópia